Ideias para Debate

Sunday, April 10, 2005

Novas vozes

Após o primeiro texto do Patricio Langa, uma série de pessoas colocou elogios aqui no blog. Agora começa a haver gente que acha isso um exagero.
Eu acho que o problema foi termos tido, durante demasiado tempo, uma juventude calada e agora, cada vez que um jovem abre a boca e diz coisas acertadas, ficamos espantados e entusiasmados.
Ora eu acho que este fenómeno está longe de ter começado com o Langa e, espero, está longíssimo de ter terminado.
Talvez os jovens tenham estado um tempo calados, sem saber bem para que lado se virarem, mas vejo que estão, activamente, a procurar os seus próprios caminhos.
Não tenho bússula nem mapa para lhes oferecer. Tão só algumas rações de alimentos e agasalhos para o frio.
E muita vontade de os ver chegar onde quiserem chegar.
Boa viagem, malta.

2 Comments:

  • Caro Machado:

    Tem Razão quando diz que este processo não começou com o Patrício Langa e nem vai terminar tão já. O que acontece é que nós fomos educados pelo sistema para não discordar em voz alta. Mas fazemo-lo em bares e nos cafés, sempre que nos reunimos, longe das paredes fofoqueiras do sistema. Discutimos sobre Pobreza, desenvolvimento ou moçambicanidade, sempre acompanhados por uma bebida alcoólica, para não nos lembrarmos no dia seguinte, e continuarmos a ter fé e a ir às faculdades, esquecendo a incompetência dos docentes, e continuarmos a ligar a televisão para ver os deputados dançarem a música dos batuques dos seus símbolos, e a ouvirmos o ensurdecedor barulho dos apitos ruidosos, chamando-os para a refeição, de cada vez que se abate uma perdiz e se assa, e se serve com molho importado, livre de taxas, sempre acompanhado por uma maçaroca cozida em água mineral, arrancada das machambas do povo muito antes de estar pronta para ser consumida e adorada na bandeira.

    Pertenço a uma minoria que frequentou escolas muito caras. Lembro-me, em 93 ou 94, estudei numa escola onde se pagava 300 dólares por mês, com transporte e actividades extracurriculares. Hoje, sonho em ter um emprego que me dê um salário para alugar uma casa de 300 dólares. Mas sonho calado, pra não ficar rouco. E dizem também que, tecnicamente, há um limite para a duracção de cada sonho. Então vou mudando de sonhos, sempre que acordo e me deparo com o pesadelo da realidade sonhada.

    Rui Tembe
    Maputo

    By Blogger Rui Tembe, at 5:01 AM  

  • Nada mais gratificante que encontrar quem questione e seja irreverente. E se o excesso de amorfismo e de acomodaçãojá é mau nos mais velhos, nos jovens então é algo contra-natura. por isso discordem em voz alta que eu vos acompanho.

    By Blogger O SILÊNCIO CULPADO, at 11:06 AM  

Post a Comment

<< Home