Ideias para Debate

Thursday, February 23, 2006

Carta

No jornal moçambicano Correio da Manhã, publiquei hoje a seguinte carta. De salientar que o Sali8m, a quem me dirijo, é apenas um nome invocado para significar toda a comunidade islâmica.


Olá Salim

Estou-te a escrever hoje, como podes imaginar, por causa do que aconteceu a semana passada no Savana.

E quero dividir o assunto em duas partes diferentes: Uma é a públicação das caricaturas que, não sei porquê, dizem ser do profeta Maomé. Outra é a reacção da comunidade muçulmana a essa publicação.

Em relação ao primeiro ponto eu já tinha escrito, no próprio Savana, a minha opinião sobre este caso. Depois de ver as caricaturas mais surpreendido fiquei. Nada naqueles desenhos, diz que se trata do profeta Moamé. Podem ser quaisquer pessoas de turbante e barba, e há muitos milhões de pessoas que usam turbante e barba.

Associar aqueles desenhos a Moamé parece-me apenas uma forma de dar peso politico/religioso a coisas que não o têm. Ou o têm de uma forma diferente. E isto quer do lado dos defensores da liberdade de informação, quer do lado dos muçulmanos.

Continuo a achar que há quem esteja por trás a manipular estes dois lados, um contra o outro, para tirar os seus lucros que nada têm a ver nem com a religião nem com a liberdade de imprensa.

E, nessa perspectiva, penso que a publicação dos tais desenhos foi uma coisa errada, servindo, embora inconscientemente, esses interesses estranhos.

Em relação ao segundo ponto, também me parece que o seu exagero levou a que se cometessem disparates graves.

E, nomeadamente, no comunicado de imprensa, publicado no Notícias, no último sábado, em que o sheik Aminudin apela “ a todos os muçulmanos em território nacional para aderirem de imediato a um boicote total e indefinido do semanário Savana: e que cessem de imediato todas as relações comerciais, institucionais, profissionais e sociais com o semanário Savana, a sua Direcção, a sua redacção, os seus jornalistas e correspondentes e colaboradores e as demais pessoas associadas de uma forma ou outra com esta publicação”.

Mais acima, no mesmo texto, o sheik considera despropositada a publicação das caricaturas, com o que estou de acordo mas, ao escrever o parágrafo que acima cito, cai ele próprio, no mesmo pecado. Aquele parágrafo é também completamente despropositado.

Principalmente porque, na sua formulação totalmente genérica, mete no mesmo saco os responsaveis editoriais e o servente que faz a limpeza, o contabilista e o jardineiro.

Só faltou acrescentar : “e os ascendentes e descendentes atá à quinta geração”, que é uma coisa que se costumava incluir neste tipo de texto, nos séculos há muito passados, em que se usava este tipo de texto.

E sabes, Salim, isto é uma coisa que me surpreende da parte do shek Aminudin, normalmente pessoa de bom senso nas crónicas que tem publicado no próprio Savana.

A propósito, fico a pensar se este boicote não se lhe aplica também a ele próprio, colaborador regular do Savana desde há muitos anos...

Enfim, esperemos que tudo isto se resolva a bem e que tenha um valor duplo: Por ter sido a primeira vez que aconteceu e, simultaneamente, por ter sido a última.

Um abraço para ti do

Machado da Graça

4 Comments:

Post a Comment

<< Home