Ideias para Debate

Friday, January 20, 2006

Sociólogos

Recebi, do Joaquim Nhampoca um texto-apelo aos sociólogos da ex-UFICS.
Aqui vai:

OS SOCIÓLOGOS DA EX-UFICS

(Por Joaquim Muchanessa D. Nhampoca*)

Os sociólogos da ex-Unidade de Formação e Investigação em Ciências Sociais (UFICS), Universidade Eduardo Mondlane, é um apelo convista a rebuscar a imagem destes sociólogos espalhados pelo país e alguns “perdidos” em instituições do Estado.

Este Artigo tem sua inspiração na obra, A Leitura Sociológica-Um Manual Introdutório, do Dr. Elísio Macamo, o sociólogo moçambicano a quem tenho muito respeito e admiração. A minha admiração por ele reside no facto de ser um moçambicano que expressa a sua moçambicanidade não apenas no discurso mas também na prática, o que contraria alguns defensores fervorosos da moçambicanidade no que dizem e fazem. O meu respeito para com este ilustre sociólogo tem como berço o facto de ter sido um dos docentes universitários que já tive e, na maneira como ele transmite a ciência ( com uma simplicidade tal, maior empenho e dedicação em relação aos seus estudantes e a todos aqueles que o contactam em matéria de ciência).

Indo mais longe diria que o que mais incentivou a elaboração deste artigo é o posfácio desta mesma obra, A Leitura Sociológica-Um Manual Introdutório, da autoria do Dr. Carlos Serra, autor do “Combate pela mentalidade sociológica”.

A posição de Carlos Serra, em relação aos sociólogos é bastante crítica, pela positiva, mas também levanta um problema quando ele diz que muitos dos que se intitulam sociólogos nada fazem para dignificar este título e quando aparecem na imprensa dizem com ar profundo as maiores banalidades e as maiores barbaridades:

“por outro lado, uma vaidade e uma impertinência confrangedores nos auto-intitulados sociólogos, que mais nada têm no seu arsenal senão a pequenez estúpida de dizerem o que não fazem (não investigam, não molham o que aprenderam no trabalho empírico, não publicam) e de dizerem com ar profundo as maiores banalidades e as maiores barbaridades, especialmente quando intervêm nos órgãos de informação” (MACAMO, Elísio, 2004:302-303).

A posição de Carlos Serra pode ter seus fundamentos numa realidade concreta sobre os sociólogos da sua geração, sem levar em conta os sociólogos da ex-UFICS, falo do 1º e 2º grupo de sociólogos formados pela UFICS. Ao me referir sobre este aspecto tomo como base o convívio entre os sociólogos formados na ex-UFICS e a realidade que cada um de nós sabe um do outro.

Existem sociólogos a trabalharem em ONGs ( Organizações Não Governamentais), alguns em Instituições de Estado, desempenhando “actividades que não têm a ver com a formação de sociólogo”, como afirmam alguns sociólogos e o cidadão comum[1], mas como tenho dito, segundo LAGO (1996), o sociólogo, também conhecido como “administrador social” pode desenvolver qualquer tipo de actividade inerente a área social. Se é que a actividade do sociólogo é por excelência questionar sempre o que está oculto, obscuro ou “atrás do muro”, então não é verdade que o sociólogo não tenha função a desempenhar.

O que tem acontecido, na minha opinião, com os sociólogos da ex-UFICS, “sem função”, nas Instituições do Estado, é a má gestão do pessoal. É aqui onde se levanta o problema em relação a posição de Carlos Serra. Eu perguntaria, os sociólogos não investigam mesmo? Não têm nada para publicar? Ou é falta de espaço de integração e oportunidades de realização de estudos investigativos?

Pela minha experiência, o “espírito de amiguismo”, interesses, conflitos geracionais e a falta de vontade, em algumas pessoas, levam a que muitos projectos de investigação na área social não passem de letras mortas no papel. Isso é o que alguns sociólogos da ex-UFICS têm sido vítimas.

Quando a coisa é boa demais, às vezes, nos esquecemos que nem tudo é bom. Portanto, nem todos os sociólogos da ex-UFICS não têm oportunidade ou nunca tiveram oportunidades para se inserirem no mundo da investigação. O que acontece estavam apenas atrás do diploma, pois, investigação não faz parte do dia a dia destes jovens sociólogos, talvez até de alguns sociólogos da geração de Carlos Serra.

No meu ponto de vista, a problemática levantada por Carlos Serra, poderia ter solução com a promoção de actividades de investigação científica que crie oportunidades, incuta o espírito investigativo nos estudantes, que faça o acompanhamento de investigadores principiante. No caso concreto dos sociólogos, talvez, a criação de uma ordem dos sociólogos ou simplesmente um Fórum Sociológico. Todavia, tenho a louvar a iniciativa do jornal “noticias” que faz do seu suplemento cultural um verdadeiro mosaico cultural e científico, onde a ciência e a cultura coabitam lado a lado.

* Sociólogo

Bibliografia

LAGO, Benjamim Marcos (1996).Curso de Sociologia e Política, Petropólis, Vozes.

MACAMO, Elísio (2004).A Leitura Sociológica-Um Manual Introdutório, Maputo, Imprensa Universitária, Universidade Eduardo Mondlane.

*Sociólogo



[1] Falo daqueles cidadãos que gostam de saber o que os outros fazem nos seus sectores de actividades.

5 Comments:

Post a Comment

<< Home