Ideias para Debate

Friday, April 01, 2005

Carta de Patricio Langa

Na sequência dos textos sobre cultura e identidade, recebi a seguinte carta de Patricio Langa:


NA FRONTEIRA DO ANONIMATO – CARTA AOS BLOGUISTAS


Caro Machado da Graça

Antes de mais, permita-me felicitar-lhe pelo espaço do blog que nos proporciona uma rica experiência de debate intelectual. Em segundo lugar, agradeço-lhe a publicação da minha réplica aos "sete sapatos sujos" do escritor Mia Couto.Sinto-me, de alguma maneira despido, exposto ao olhar do público. Pelo menos daquele que tem acesso a espaço virtual da NET por meio do seu blog. Confesso! Não esperava que aquilo que não passava de mero atrevimento, em replicar o consagrado Mia, se transformasse num espaço alargado de debate sobre a nossa identidade moçambicana. Sinto-me lisonjeado pelo impacto 'positivo' que está a surtir o artigo que escrevi. Mas pesa-me, agora, nas costas a responsabilidade de corresponder a uma certa expectativa que se começa criar em torno da minha escrita e que não fazia parte dos meus planos iniciais. Na verdade já vinha publicando, não com regularidade, ideias minhas sempre que achasse oportuno fazê-lo. Faço publicidade de borla para a revista Mais que conta com uns 3 ou 4 artigos de minha autoria. Mas dessa escrita modesta nunca havia recebido algum tipo de palmadinhas. O refúgio no anonimato continua a ser um lugar confortável para mim. Por isso,pretendo continuar no mesmo ritmo. Perdoem-me os que esperavam mais de mim.A réplica ao Mia, e o seu impacto, criou em mim a sensação de que estou chegando ao limite da fronteira do anonimato. Já me explico. Sem falsa modéstia de minha parte entendo o tipo de reacção ao meu artigo não somente como resultado do provável mérito da minha escrita e do argumento nela exposto, mas pela dimensão de Mia no campo da escrita. Se o título do artigo fosse: " Os alienados do Patrício" com certeza não lhe teriam prestado tanta atenção quanto o prestaram ao "Os alienados do Mia". Por isso, ainda acho que o mérito deve ser devolvido ao Mia, a quem desde já agradeço pela sua reacção. Estamos em sintonia Mia.
À Maria de Lurdes Torcato posso também endereçar algumas palavrinhas.Primeiro, como não podia deixar se ser, o abrigado pela reacção à réplica. Segundo, um pequeno esclarecimento. Não pretendi ao citar a valsa, o véu e as grinaldas sugerir que esses devem ser, no sentido normativo, os modelos culturais a seguir pela nossa juventude. O meu argumento tenta ir além disso. A pergunta colocada a seguir no seu texto"que sentido fazem esses ingredientes hoje?" pode, metodologicamente,captar parte do que tentei defender, mas com alguns reparos. Essa pergunta não tem como resposta prévia: - nenhum! Ou " Mas há verdadesque têm que ser ditas. Vivemos mesmo à mercê de uma geração alienada" que Torcato adestra.Essa pergunta merece ser feita aos jovens, antes que dela tiremos alguma conclusão, precipitada. Não me quero arriscar a dar uma resposta sem base empírica, mas também me recuso a aceitar sem evidências que o melhor é achar que a geração de jovens a que pertenço está alienada. Não me conforta a excepção que Torcato faz da minha pessoa. Não sinto orgulho algum em ser o jovem não alienado duma geração alienada.Preferia, antes pelo contrário, ser o jovem alienado duma geração não alienada. Aproximemo-nos dos jovens e procuremos compreender as suas opções sem julgá-las a priori. Sem julgarmos que os 'mais velhos' são o"padrão" e os mais novos o "desvio padrão". Como diz um dos comentaristas ao seu texto: "o alienado é (sempre) o outro". Essa é a minha sugestão. Quanto as supra-identidades, preciso estudá-las ainda.Aos restantes blogistas que comentaram a minha réplica fica aquele abraço.
Patrício Langa
Cape Town
01/04/05

1 Comments:

  • Caro Machado da Graça
    Desculpe a intromissão na administração do seu espaço, mas acho que o debate seria mais abrangente se não apenas bloggers pudessem comentar os seus posts.
    Tenho lido e ouvido muitas referências a este espaço, que frequento anonimamente quase desde o seu início, mas verifico que a quantidade de intervenientes é reduzida, ao contrário da qualidade.
    Não que isso seja mau de todo, mas até pelo título que escolheu para este espaço me parece que pretenda que seja mais tipo forum de debate que propriamente um blog.
    Os temas propostos são da maior relevância no nosso quotidiano e para quem se interessa pelo futuro do país, e penso que muitos mais visitantes gostariam de contribuir para enriquecer os debates.

    Bom trabalho.

    By Blogger Manuel, at 9:47 AM  

Post a Comment

<< Home